Não somos perfeitos

Perdoe-se, você não é perfeito e não seremos perfeitos na Terra. Nossa perfeição está na vida eterna, no mundo espiritual.

Não se julgue, nem tampouco julgue alguém. Na verdade, quando julgamos outras pessoas estamos escondendo nossos próprios erros. Enquanto você julga alguém, também está sendo julgado.

Sei que é muito difícil não julgar, porque estamos sempre nos vendo perfeitos ou certos em tudo, no que falamos e fazemos. Pura ilusão. Antes de julgar ou criticar alguém, olhe para si mesmo.

Não seja um investigador de defeitos, mas sim, um descobridor de virtudes.

Não se preocupe em ser perfeito. Estamos na Terra para nos aprimorarmos, e para isso estaremos cometendo muitos erros que serão colocados na balança da justiça divina. Então, as nossas maiores preocupações não são
nossos erros, tampouco os erros dos outros, mas nossos acertos. Essa deve ser nossa luta: fazer o maior número possível de acertos a cada dia. Podemos conseguir isso vivendo o momento presente, dando valor a cada segundo de nossas vidas e à vida das pessoas com quem estamos no momento, sem nos procurar com o que ela fez no passado. O importante é você fazer por ela no agora, não julgando. Será que saberemos distinguir o que é certo ou errado sem antes fazer uma reflexão profunda em nossa vida?

O que é certo para você pode ser errado para outra pessoa. Estamos sempre de olho nos erros das outras pessoas e vice-versa. Não importa os nossos e nem os erros alheios, o que importa são as coisas boas, o lado bom, as virtudes que todos nós temos.

Acertar é a nossa grande meta, fazendo boas ações, tendo equilíbrio, procurando a união entre o coração e a mente. Só quem pode dizer alguma coisa para você sobre o que é certo ou errado é você mesmo, usando a sua consciência. Com o maior número possível de acertos, a consciência nunca te incomodará.

Não se preocupe com seus erros passados. Eles ficarão lá atrás. Não se preocupe com o futuro que não chegou, ou melhor, que não existe. Viva o seu agora com equilíbrio e boas ações. Errar não é humano, e sim um aprendizado divino, que o leva a uma viagem ao seu interior e, junto com a consciência, busca a lição aprendida, sem precisar de ninguém para perdoá-lo, pois você é tem que se perdoar.

Os erros não podem fazê-lo paralisar diante dos desafios da vida. Os grandes cientistas não acertaram na primeira tentativa e nem na segunda, erraram muito até acertarem fazer uma coisa boa para a evolução do planeta. A palavra dita ou escrita só vai ser verdadeira se você quiser que ela seja verdade. O livro só é bom quando toca seu coração, a religião boa é aquela que modifica seu interior para que se torne uma pessoa melhor, a Bíblia não é uma verdade para muitas pessoas que não são cristãs, as palavras de Buda não significam nada para muitos
cristãos. Existe muita gente que acredita no Profeta Maomé e muitas o ignora, o espiritismo é, para muitos, uma invenção de Allan Kardec. Então, verdades ou mentiras não são só lidas, são sentidas.

Certo ou errado, devemos fazer o que o coração manda.Quando se escuta o coração,o poder de acertos é muito maior.

Às vezes fazemos coisas pensando que estamos errados, mas, na verdade, a pessoa diretamente envolvida merecia ou precisava ouvir ou sentir. Mas, não há nada no mundo que não possa ser perdoado, principalmente quando se trata de um assunto que é só seu, o perdão a si mesmo.

Não podemos carregar alguns sentimentos de culpa para vida inteira. A atitude de se perdoar de forma decisiva aumenta, em muito, a nossa auto-estima. Mesmo que uma pessoa seja verdadeiramente culpada, o perdão é um ato essencial. Termos a consciência de que não somos perfeitos já é um motivo para se perdoar. Temos que ter a
capacidade de reverter os nossos erros em boas ações, para si próprio e para o nosso semelhante.

“Deus, acho que errei. Acho que não deveria ter feito o que fiz!” Será que você errou ou foi induzido ao erro para aprimorar a outra pessoa? Quem sabe se a outra pessoa mereceu o seu erro? O maior erro é não aceitar que errou e não se perdoar.

Não há razão para se preocupar com erros imaginários, pois muitos deles são fantasias da nossa mente. Convergindo seus pensamentos para coisas boas não haverá espaço para os erros. Somos livres por natureza e a ela devemos voltar. Somos capazes de resolver qualquer problema, com verdade e com o coração. Viver alegres e desejar a felicidade do próximo deve ser a nossa meta.

Vivo os meus erros, é com eles que trabalho para multiplicar os meus acertos.

Por: Bernardino Nilton do Nascimento

Anúncios
Esse post foi publicado em Artigos. Bookmark o link permanente.

Deixe-nos sua opinião, pois é muito importante para nós!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s