Psicografia: Ovóides

Psicografado por: Elerson Gaetti
Email: gaettijardim@gmail.com

Ovoides: o que eu vi (Autoria: desconhecida. O espírito comunicante manifestou-se comum um jovem soldado alemão, mas sem uniforme e insígnias, declarando ter falecido em 26 de abril de 1945, nas cercanias de Bautzen, Alemanha atual)

A vida não cessa, não para, não reflui.

Transformamo-nos naquilo que carregamos dentro de nós mesmos. O Amor, a Humildade e a Fraternidade constituem patrimônios pessoais, que levam ao crescimento e imprimem novo ritmo ao nosso aprendizado.

Quando nos afastamos desse caminho, perdemos contato com o sopro do Criador e isso se dá porque nos recusamos a comungar com o Pai. Não é Ele que nos expulsa de sua divina morada em nossos corações e mentes, mas nós mesmos que, na condição de filhos pródigos, nos ausentamos das conversas amorosas e amigas.

Os anos passam e a doença do ódio, da supremacia, do orgulho, da vaidade, nos cega. Cegos, acreditamos que nossas lembranças da luz eram ilusões dos sentidos naturais, imagens de um mundo de sonhos que nunca existiu. Recusamos a acreditar na realidade perdida.

Gritamos, para a escuridão profunda, que a luz não existe e que Deus é uma ilusão.

“Somos homens, guerreiros; somos fortes”, dizemos ao vento que ainda sentimos sobre nossas fauces macilentas. Em altos brados, tornamos pública a nossa ignorância e descaminho.

Presos na espiral de agonia, certa feita não sentimos mais a pele que nos envolvia e, para o bem do universo que nos recebeu após a morte física, perdemos a fala e a ausência de nossos gritos enche os ares de paz, diminuindo o sofrimento e a desarmonia que causávamos a nossos parceiros do grande hospital terreno.

Contudo, nossa voz interior continua a bradar e o fogo que brota de nossos corações e mentes bloqueia as estruturas músculo-esqueléticas, que passam a regredir inexoravelmente. Paramos de agredir os outros, mas continuamos a nos flagelar.

Cegos, mudos, imóveis ou escorrendo pelos cantos de áreas indescritíveis, ainda guardamos a sensibilidade auditiva, pelos ouvidos da mente, posto que não mais sabemos onde está nossa cabeça e as demais partes do corpo, mas nos recusamos a escutar qualquer coisa que não transmita exatamente o que desejamos. Com o tempo, podermos o vínculo com os sons e a única coisa que escutamos nesse árido mundo de trevas é a nossa própria voz interior, a mente.

Ela, senhora e escrava de si mesma. Suas ordens empurram o doente para o estado terminal, que impossibilitado de morrer de novo, uma vez que a morte é ilusão que não deveria convencer ninguém, lançam-no em estado de profunda nulidade. Tornamo-nos algo próximo a “nada”, mas até o nada é alguma coisa e não desaparecemos.

Muitos de vocês acreditam que os ovoides são formas abstratas, distantes da realidade do plano terreno. Isso é uma ilusão. Existem muito mais irmãos que se anularam em processo de ovoidização e permanecem no plano terreno, vampirizando para terceiros, em casos de obsessões complexas, do que nas elevadas densidades vibratórias das trevas.

O ódio ovoidiza porque nos afasta de Deus, mas não pensem que isso somente se dá quando odiamos a outrem. Entre meus companheiros egressos dos campos de morte da Segunda Guerra Mundial, os suicidas são os principais atores do processo de ovoidização. Prefiro não utilizar o termo “vítimas” para descrevê-los, posto que padecem do remorso  e do ódio contra sim mesmos, em função do sofrimento e destruição infringidos a outros tantos seres humanos, constituindo a vontade de deixar de existir a força mestra da ovoidização nessas circunstâncias.

Nossos amigos espirituais em melhores condições trabalham por nós e renascemos na carne com a misericórdia divina ao nosso lado. Nesse retorno ao corpo físico, não sofremos porque a mente doente ainda não tem consciência de si mesma.

No momento que menos esperamos, a luz tênue invade nossos olhos e o som de vozes humanas nos atenua a angústia. É a voz do papai e da mamãe, que o Deus Altíssimo permite que venhamos a escutar ao longe…

Onde estou? O que faço aqui? ….é o início de uma crise…

Sou o general Fulano de Tal, da família XYZ! O que fizeram comigo?

Pensamentos assim somente se manifestam nos breves momentos em que nosso espírito, em processo de reencarne, se liberta, mas as crises são curtas, uma vez que nossos amigos nos flanqueiam e encaminham ao tratamento espiritual, que campeia dos dois lados da vida.

Esses irmãos raramente concluem o processo reencarnatório de fato advindo o aborto após algumas semanas gestacionais. Mas, meus amigos, como melhoram em todos os aspectos. Os generais e comandantes desaparecem… surgem enfermeiros e serviçais.

Pude ver centenas de companheiros meus, Kamaraden, nesse estado e quase todos estão retornando pela segunda ou terceira vez ao mundo físico, após o início do tratamento contra o restringimento enfermiço do perispírito. Voltam a ver, escutar, sentir e, acima de tudo, amar.

O amor é o melhor medicamento para essas enfermidades da alma.

Do meu coração, de alguém que aguarda a sublime oportunidade do retorno, para amparar aqueles que agredi e aprender a partilhar, solicito que deem o real valor á vida.

Vida é o sublime presente Dele, do Criador. Não venhamos a nos converter em ovoides funcionais. Vivam a vida com amor, disciplina e responsabilidade.

Deus acima de tudo (1)

Deus É tudo

Ass. Um companheiro que encontrou o plano espiritual em Bautzen

Notas dos Autores:

  1. O espírito faz uma comparação nítida com o lema nazista na Segunda Guerra Mundial, que dizia “Deuschtlandüberalles”, ou “Alemanha acima de tudo”, em tradução literal, substituindo a palavra Alemanha pelo Criador, Deus. Possivelmente tentou dar mais ênfase à modificação de seu estado interior.
Anúncios
Esse post foi publicado em Psicografias e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe-nos sua opinião, pois é muito importante para nós!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s