A degeneração do Espiritismo

Dalmo Duque dos Santos

Comparando a história do Espiritismo com a do Cristianismo Primitivo, podemos tirar algumas conclusões importantes para a o futuro da nossa doutrina e o do seu movimento social.

O Cristianismo, cuja pureza doutrinária do Evangelho e simplicidade de organização funcional dos primeiros núcleos cristãos foi conquistando lenta e seguramente a sociedade de sua época, sofreu com o tempo um desgaste ideológico. Corrompeu-se por força dos interesses políticos, financeiros e institucionais. Os novos adeptos e seus líderes, não conseguindo penetrar na essência do Evangelho, que é regeneração, ou seja, o mergulho doloroso no mundo interior e a reversão das atitudes exteriores, adaptaram o mesmo às suas conveniências psico-sociais, atacando suas idéias mais contundentes à moral animalizada, alimentando os mecanismos de defesa da mente, fazendo concessões às fraquezas dos adeptos e desviando-os para o comodismo dos disfarces rituais exteriores. Repressão de forças espirituais espontâneas e idéias consideradas ameaçadoras ao clero, como a mediunidade e a reencarnação; a falsificação de tradições e a adoção do sincretismo do costumes bárbaros, foram as principais estratégias dessa clericalização do cristianismo.

O resultado de tudo isso é bem conhecido: dois milênios de intolerâncias, violências, atraso espiritual, perpetuação das injustiças sociais, agravamento de compromissos com a lei de ação e reação e forte comprometimento da regeneração do nosso planeta.

Com o Espiritismo não está sendo muito diferente.

Apesar das advertências dos Espíritos e do próprio Allan Kardec quanto aos períodos históricos e tendências do movimento, os espíritas insistem em cometer os mesmos erros do passado. Os mesmos erros porque provavelmente somos as mesmas almas que rejeitaram e desviaram o Cristianismo da sua vocação e agora posamos de puristas ortodoxos, inimigos ocultos do Espírito da Verdade.

Negligentes com a oração e a vigilância, cedemos constantemente aos tentáculos do poder e da vaidade. Desprezamos a toda hora a idéia do “amai-vos e instruí-vos”, entendendo-a egoisticamente, ora como fortalecimento intelectual competitivo, ora como o afrouxamento dos valores doutrinários. Não conseguindo nos adaptar ao Espiritismo, compreendendo e vivenciando suas verdades, vamos aos poucos adaptando a doutrina aos nosso limites, corrompendo os textos da codificação, ignorando a experiência histórica de Allan Kardec e dos seus colaboradores, trazendo para os centros espíritas práticas dogmáticas das nossas preferências religiosas, hábitos políticos das agremiações que freqüentamos e mais comumente a interferência negativas dos nossos caprichos e vaidades pessoais.

Como os primeiros cristãos, também lutamos pelo crescimento de nossas instituições, deixando-nos seduzir pelo mundo exterior e imitando os grupos já pervertidos, construindo palácios arquitetônicos, cuja finalidade sempre foi causar impressão aos olhos e a falsa idéia de prestígio político; e dentro deles praticamos as mesmas façanhas da deslealdade, das rivalidades, das perseguições aos desafetos, da auto-afirmação e liderança autoritária, de crítica e boicote às idéias que não concordamos.

E, finalmente, cultivamos uma equívoca concepção de unificação, esperando ingenuamente que a nossas idéias e grupos sejam majoritários num Grande Órgão Dirigente do Espiritismo Mundial, do nosso imaginário, e muitas outras tolices e fantasias que nem vale a pena enumerar aqui.

E assim caminhamos, unidos em nossas displicências e divididos nas responsabilidades. Preferimos esquecer figuras exemplares que atuaram na Sociedade Espírita de Paris quando ignoramos nossa história sabiamente registrada na Revista Espírita. Deixamos de lado líderes agregadores – ainda que divergências normais e toleráveis existissem entre eles – para ouvir e nos deixar dominar por um disfarçado clero institucional, comando por vozes medíocres e ciumentas, figueiras estéreis, sofistas encantadores e improdutivos, enfim, velhas almas e velhas tendências, vinho azedo e frutas podres em nossos mais caros celeiros doutrinários.

Mas como evitar esse processo de corrupção e, em alguns casos notórios, de contaminação e má conduta? Como reverter a situação para reconduzir essas experiências para os rumos verdadeiramente espíritas? O que fazer com as más instituições, com os maus dirigentes, os maus médiuns, maus comunicadores, enfim os maus espíritas? Devemos identificá-los e expulsá-los dos nossos quadros? Devemos denunciá-los e discriminá-los como fazia a Inquisição com os acusados de heresia?

O que fazer com os livros que consideramos impuros ou inconvenientes ao movimento?: devemos queimá-los em praça pública, censurá-los em nossas bibliotecas ou então deixar que a própria comunidade espírita pratique o livre arbítrio e aprenda a fazer escolhas corretas e adequadas às suas necessidades?

O Espiritismo foi certamente uma doutrina elaborada por Espíritos Superiores e isto nos deixa tranqüilos quanto ao seu futuro doutrinário. Mas o seu movimento vem sendo feito por seres humanos, espíritos ainda imaturos e inexperientes. Isso realmente tem nos deixado muito preocupados, pois sabemos que, hoje, os inimigos do Espiritismo estão entre os próprios espíritas.

Fonte: http://espirito.org.br/portal/artigos/dalmo/a-degeneracao.html

Anúncios
Esse post foi publicado em Artigos e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para A degeneração do Espiritismo

  1. wilson disse:

    Espiritismo Doutrinario.
    1)O Espiritismo ou Doutrina Espírita não tem nenhuma ligação com cartomantes, umbanda, candomblé, magias, misticismo.
    O Mestre Allan Kardec em suas Obras não manda ninguém usar velas, incenso, amuletos, talismã, roupas brancas, imagens de santos, fazer despachos, muito menos sacrificar pobres animais, nada disso representa a Doutrina Espirita.
    Uma questão muito importante, Kardec não manda ninguém evocar espíritos para tratar de assuntos matérias terra a terra, assuntos vulgares como, volta da pessoa amada, sorte com o dinheiro, sorte com as mulheres, predizer o futuro, revelar tesouros perdidos, revelar formulas para ficar rico, fazer trabalhos de magia para prejudicar desafetos etc…
    O intercambio com o mundo espiritual ou plano astral é para instruir, esclarecer e moralizar os espíritos humanos.
    Nunca para tratar de assuntos vulgares, matérias e mesquinhos sem elevação Moral.
    Quem pratica essas coisas vai atrair pela Sintonia vibratória dos pensamentos os espíritos inferiores, perturbadores, embusteiros e obsessores do plano astral.
    O intercambio mediúnico com o mundo espiritual é algo muito serio e nobre e também perigoso, a mediunidade tem que ser praticada com disciplina, elevação moral, responsabilidade, ordem e critérios doutrinários.
    Tudo no mundo espiritual ou plano astral é regulado pela Lei de Sintonia Vibratória dos Pensamentos ou Afinidade Moral.
    Os semelhantes se atraem e os diferentes se repelem.
    O Bem tem sintonia com o Bem.
    A Virtude tem sintonia com a virtude.
    A Verdade tem sintonia com a Verdade.
    O mal tem sintonia com o mal.
    O vicio tem sintonia com o vicio.
    A mentira tem sintonia com a mentira.
    Tudo é sintonia e atração no plano espiritual.
    Cada pessoa conforme seus pensamentos, sentimentos e atitudes vai atrair Bons ou maus espíritos, tudo depende do Padrão Moral dos pensamentos das pessoas.

    2)Não adianta usar roupas brancas, amuletos, talismã, velas, incenso, exorcismos, imagens de santos, para afastar os maus espíritos.
    Temos que cultivar pensamentos elevados e nobres e praticar o Bem e as Virtudes, dessa forma a pessoa consegue elevar seu Padrão Vibratório e repele as vibrações pesadas e negativas dos espíritos inferiores, perturbadores e obsessores do plano astral.
    Não havendo sintonia vibratória os maus espíritos não conseguem influenciar as pessoas.
    O Bem repele o mal.
    Uma outra questão muito importante no Espiritismo é que esses espíritos desencarnados que se apresentam nas reuniões mediúnicas pedindo cigarros, farofa, charutos, cachaça, velas, despachos e sacrifícios de pobres animais, são espíritos moralmente atrasados apegados a matéria e aos vícios e desejos terrenos, somente espíritos inferiores podem pedir tais coisas.
    Os Espiritos Superiores e os Bons Espiritos já estão com seus pensamentos e sentimentos moralmente depurados, eles não tem necessidades matérias.
    Quem pede essas coisas são espíritos inferiores que possuem um perispirito denso, grosseiro, eles sentem ainda as necessidades matérias que eles tinham quando estavam encarnados, como eles não possuem mais o corpo físico para saciar tais desejos e vícios terrenos, eles vão se servir dos encarnados que possuem esses desejos e vícios.
    Eles vão encostar o seu perispirito no perispirito do encarnado que esta bebendo ou fumando e vão sugar fluidicamente os fluidos da nicotina e do álcool num processo chamado de Vampirismo psíquico, eles são tipo parasitas espirituais.
    É por isso que esses médiuns que usam cachaça e charutos são Vampirizados por espíritos inferiores do plano astral.

    3) Perguntamos.
    Vocês acham que um Espírito Superior um Espírito de Luz vai necessitar de velas, cachaça, cigarros, charutos e despachos???
    Vocês acham que um Espírito Elevado vai pedir sacrifícios de pobres animais????
    Procurem raciocinar.
    Quem pede essas coisas são espíritos que ainda estão presos as necessidades matérias, são espíritos moralmente atrasados.
    E muitos desses espíritos podem ser maldosos e vingativos, cuidado!!
    Os despachos são usados para esses espíritos sugarem as emanações fluídicas dos alimentos que são colocados ali.
    É um bando de Vampiros, isso que eles são.
    E muitas pessoas acham que são Espíritos Elevados que pedem essas coisas, isso é deplorável.
    Esses espíritos que se apresentam como caboclos, índios, pretos velhos, orixás, são espíritos desencarnados que ainda estão com seus pensamentos e sentimentos apegados as coisas matérias, eles precisam se depurar moralmente e se esclarecerem.

    4) O Espiritismo tem por finalidade básica instruir, esclarecer, educar, moralizar e espiritualizar as pessoas, incentivando elas a seguirem o caminho do Bem, da caridade e das virtudes.
    O Espiritismo é uma Escola de esclarecimentos espirituais, um dos seus ensinamentos básicos é desenvolver a Fé raciocinada na mente das pessoas.
    O Espiritismo nas Obras do Mestre Allan Kardec esclarece que não existem milagres e nem fatos sobrenaturais no Universo, todos os fenômenos espíritas e mediúnicos são fenômenos NATURAIS regulados por Leis naturas, eternas e imutáveis.
    O Deus bíblico que realiza milagres, que castiga, que perdoa, que distribui favores não existe, esse é o Deus criado pelos homens.
    Deus criou o homem e o homem criou vários Deuses.
    O Deus bíblico é uma criação humana.
    Esse Deus que sente ira, cólera, raiva, pede sacrifícios de animais, manda exterminar povos estrangeiros, é uma fantasia.
    Deus não faz milagres, Jesus nunca fez milagres, as curas realizadas pelo grande Mestre Jesus eram fenômenos psíquicos Naturais.
    O Mestre Kardec fala em seus livros, que é a falta de conhecimentos das Leis naturais que regem o mundo espiritual que criou a idéia do milagre e do sobrenatural.
    É por isso que a fé no Espiritismo é Racional e não mística.

    5) Existe muitas pessoas que se dizem espíritas e quando começam a falar do Espiritismo, falam de banho de ervas, banho de sal grosso, velas, amuletos, roupas brancas, imagens de santos, vamos ver claramente que não são Espíritas, por que, o Espiritismo ou Doutrina Espírita não prega essas coisas.
    O Mestre Kardec em seus livros não manda ninguém usar velas, amuletos, talismã, roupas brancas, imagens de santos ou anjos, nem fazer despachos ou sacrificar pobres animais, nada disso existe na Doutrina Espírita.
    Portanto, temos que estudar as Obras de Allan Kardec para podermos ter uma visão clara e segura do Espiritismo.
    Sem Kardec não existe Doutrina Espírita.
    Uma outra questão importante, a Umbanda não é Espiritismo.
    A umbanda trabalha com fenômenos mediúnicos, ou seja, a mediunidade, eles entram em contato com os espíritos desencarnados para certos trabalhos.
    Porem, as diferenças entre Espiritismo e Umbanda é muito grande, repetimos, o Mestre Allan Kardec em seus Livros não orienta ninguém a usar velas, amuletos, roupas brancas, imagens de santos, fazer despachos e sacrificar covardemente animais inocentes, isso não tem nada haver com os princípios Doutrinários do Espiritismo.
    Não estou discriminando nada só estou definindo questões Doutrinarias.
    Não podemos misturar coisas diferentes.

    6) Como reconhecer a elevação dos espíritos desencarnados que se apresentam nos trabalhos mediúnicos???
    A Linguagem e os ensinamentos é o ponto chave.
    Os Espíritos Superiores e os Bons Espíritos possuem sempre uma Linguagem moralmente LIMPA, sua linguagem é elevada, nobre, pura, digna, lógica, e sublime de moralidade e seus Ensinamentos possuem sempre um teor Moral elevado e digno, eles pregam sempre em suas comunicações ou mensagens, a Caridade, o Amor, as Virtudes, a Disciplina, a Ordem, a Justiça, a Humildade, a Elevação Moral.
    Os Espíritos Elevados são Virtuosos em seus ensinamentos.
    De um Espírito Elevado só pode vim Virtudes, Luz e Amor.

    Os espíritos inferiores apegados a matéria e aos vícios e desejos terrenos, possuem sempre uma Linguagem moralmente pesada e maliciosa.
    Eles possuem uma Linguagem grosseira, pesada, vulgar, violenta, agressiva, chula, sem lógica e sem elevação moral.
    Desses espíritos só podem vim vícios, mentiras, vulgaridades e grosserias.
    A Linguagem é o ponto chave que devemos analisar sempre nas comunicações mediúnicas.
    Portanto, nas comunicações e mensagens que venha dos espíritos desencarnados temos que analisar com muito cuidado a Linguagem e os ensinamentos dos Espíritos.

    Os espíritos inferiores também gostam de se impor e dar ordens, querem ser obedecidos, não podemos questionar nada, temos que aceitar as suas orientações.
    Esse é um sinal claro de embuste.
    Os espíritos elevados jamais se impõem e nem dão ordens, eles dão conselhos e orientações visando sempre a melhoria Moral e espiritual das pessoas, uma outra questão importante, os Espíritos Elevados nunca vão tratar de assuntos matérias como, volta da pessoa amada, sorte no jogo, sorte com o dinheiro, predizer o futuro, revelar tesouros escondidos, revelar formulas para ficar rico etc…
    Somente espíritos apegados a matéria é que tratam dessas coisas e muitos desses espíritos podem ser obsessores.
    Outra questão importante, os Espíritos de Luz ou Espíritos Superiores e Elevados não possuem necessidades matérias, eles não precisam de velas, charutos, cigarros, cachaça, farofa etc…
    Quem precisa dessas coisas são espíritos apegados a matéria e aos vícios e desejos terrenos, somente isso.
    Vocês acham que os Espíritos de Luz vão pedir essas coisas????
    Procurem pensar.

    7)Existe no mundo espiritual ou plano extra físico muitos espíritos embusteiros, mentirosos, hipócritas, sedutores e mistificadores, o Mestre Allan Kardec chama esses espíritos de os falsos profetas da erraticidade, Kardec explica que esses espíritos embusteiros tomam nomes falsos e usam uma Linguagem melosa e sedutora para enganar as pessoas.
    Como evitar os espíritos mistificadores???
    Primeiro, não podemos aceitar nada que venha dos espíritos desencarnados sem rigoroso exame.
    Segundo, todos os ensinamentos que venham dos espíritos desencarnados têm que passar pelo crivo severo da Razão e da Lógica mais rigorosa possível para poder ser aceito.
    Qualquer ensinamento que choque a lógica, a razão e a moral elevada, deve ser rejeitado, essas são as recomendações DOUTRINARIAS do Mestre Allan Kardec.
    É por isso, que eu procuro raciocinar muito nessas questões, por que, a Fé no Espiritismo tem que ser Racional e não mística.
    Tudo isso que eu coloquei esta nas Obras do Mestre Kardec.

  2. wilson disse:

    O Espiritismo sem misticismo.

    1)O Espiritismo Não pode ser misturado com crenças místicas, cartomantes, umbanda, candomblé, espiritualismo oriental etc…
    O uso de formulas mágicas e místicas, não tem nenhuma base racional ou Doutrinaria, temos que evitar essas misturas ridículas com a Doutrina Espírita, principalmente, evitar o Sincretismo que é a pior praga usada para contaminar a Pureza do Espiritismo.
    O uso de amuletos, talismã, exorcismos, sinais cabalísticos, medalhas mágicas, palavras sacramentais, cartomancia, são tudo procedimentos místicos sem nenhum valor espiritual.
    E nada disso representa o Espiritismo.

    A questão 554 de “O Livro dos Espíritos” corrobora essa posição. Confiramos:
    P.: “Que efeito pode produzir fórmulas e práticas mediante as quais pessoas há que pretendam dispor do concurso dos Espíritos?”
    R.: “(…) Todas as fórmulas são mera charlatanaria. Não há palavra sacramental nenhuma, nenhum sinal cabalístico, nem talismã, que tenha qualquer ação sobre os Espíritos, porquanto estes são só atraídos pelo pensamento e não pelas coisas materiais”. E continua mais adiante: “Ora, muito raramente aquele que seja bastante simplório para acreditar na virtude de um talismã deixará de colimar um fim mais material do que moral. Qualquer, porém, que seja o caso, essa crença denuncia uma inferioridade e uma fraqueza de ideias que favorecem a ação dos espíritos imperfeitos e escarninhos”.

    Em “O Livro dos Médiuns”, é perguntado aos Espíritos Superiores:
    “Certos objetos, como medalhas e talismãs, têm a propriedade de atrair ou repelir os Espíritos conforme pretendem alguns”?

    R.: “Esta pergunta era escusada, porquanto bem sabes que a matéria nenhuma ação exerce sobre os Espíritos. Fica bem certo de que nunca um bom espírito aconselhará semelhantes absurdidades. A virtude dos talismãs, de qualquer natureza que sejam, jamais existiu, senão, na imaginação das pessoas crédulas”.

    O Codificador Allan Kardec comentou, concluindo e reiterando a total desvinculação do Espiritismo com o pensamento mágico propalado pelas religiões e crenças fetichistas:

    “Os Espíritos são atraídos ou repelidos pelo pensamento e não por objetos materiais (…). Em todos os tempos os Espíritos superiores condenaram o emprego de signos e de formas cabalísticas; e todo Espírito que lhes atribui uma virtude qualquer ou que pretende dar talismãs que denotam magia, por aí revela a própria inferioridade, quer quando age de boa-fé e por ignorância, (…) quer quando conscientemente (…). Os sinais cabalísticos, quando não são mera fantasia, são símbolos que lembram crenças supersticiosas na virtude de certas coisas, como os números, os planetas e sua correspondência com os metais, crenças nascidas no tempo da ignorância e que repousam sobre erros manifestos, aos quais a ciência fez justiça, mostrando o que há sobre os pretensos sete planetas, os sete metais, etc. A forma mística e ininteligível de tais emblemas tem o objetivo de os impor ao vulgo (…), aquilo que não compreende.”

    O Mestre Kardec deixa bem claro, é o pensamento que exerce ação para atrair ou repelir os espíritos desencarnados, nenhum objeto material tem valor ou ação sobre os espíritos.
    Muitas pessoas tem uma idéia errada do Espiritismo no Brasil, devido as influencias místicas e o sincretismo, falam em Espiritismo de umbanda, espiritismo de mesa, espiritismo de terreiro, espiritismo oriental ou ramatisiano, e interpretam a Doutrina Espirita como uma variante da magia.
    O problema esta nas pessoas que pregam o Espiritismo de forma errada, pessoas que se dizem espíritas e falam em banho de ervas, banho de sal grosso, usar velas, usar roupas brancas, fazer despachos, usar imagens de santos, nada disso representa o Espiritismo.
    Essas pessoas são os falsos espíritas, na realidade eles são umbandistas e vão distorcendo os princípios doutrinários da Doutrina Espírita.
    Devemos estar alertas nesses assuntos, umbanda não é Espiritismo.
    Devemos estudar o Espiritismo é nas Obras do mestre Allan Kardec e depois estudar as Obras do grande Leon Denis e no Brasil principalmente estudar as Obras de J Herculano Pires, dessa forma vamos ter uma base Racional e Doutrinaria seria e solida sobre o espiritismo.

    2) Uma questão que eu considero muito importante, é analisar a questão dos espíritos desencarnados que atuam nesses centros de umbanda, candomblé e centros de magia, vejamos, os Espíritos de Luz ou Espíritos Superiores não possuem necessidades matérias, eles estão isentos de atrativos matérias, seus pensamentos e seus sentimentos estão moralmente purificados e depurados, eles não precisam de coisas matérias.
    Os espíritos inferiores estão moralmente apegados a matéria eles precisam dessas coisas matérias, como, cigarros, charutos, cachaça, despachos e sacrifícios de pobres animais, eles absorvem por osmose as emanações fluídicas da bebida e do fumo e sugam os fluidos Vitais que esta no SANGUE dos animais sacrificados nesses rituais sangrentos e primitivos.
    Nunca confie nesses espíritos que se apresentam como caboclos, preto velhos, exu, entidades ciganas, boiadeiros, são espíritos desencarnados apegados a matéria, e muitos desses espíritos podem ser maldosos, maliciosos, sedutores e obsessores, cuidado nesses assuntos, não seja ingênuo, estude Kardec, Leon Denis e Herculano Pires.
    Seja espírita pela fé racional e doutrinaria.

    Um outro alerta que eu quero colocar, que o objetivo sagrado do Espiritismo é melhorar moralmente o ser humano.
    Estudar e praticar esse é o lema do verdadeiro espírita, que procura combater seus maus pensamentos, combater seus vícios, combater seus maus desejos, combater as suas imperfeições morais, ele procura praticar o Bem, a caridade e as Virtudes, dessa forma ele se aproxima dos Bons espíritos e repele a influencia dos espíritos inferiores, perturbadores e obsessores do plano astral.
    Pela elevação moral e mental vamos entrar em sintonia vibratória com os espíritos de luz.

    3)O Espiritismo não adota em suas reuniões: paramentos ou quaisquer vestes especiais; vinho, cachaça, ou qualquer outra bebida alcoólica; incenso, mirra, fumo ou quaisquer outras substâncias que produzam fumaça; altares, imagens, andores e velas; hinos ou cantos em línguas mortas ou exóticas; danças ou procissões; atendimento a interesses materiais, terra-a-terra, mundanos; pagamento de qualquer espécie; talismãs, amuletos, orações miraculosas, bentinhos e escapulários; administração de sacramentos, concessão de indulgências, distribuição de títulos nobiliárquicos; horóscopos, cartomancia, quiromancia e astrologia; rituais e encenações extravagantes; promessas e despachos; riscar cruzes e pontos, praticar, enfim, a longa série de atos materiais oriundos de velhas e primitivas concepções religiosas.
    O Mestre Allan Kardec em seus livros não manda ninguém usar, velas, incenso, amuletos, roupas brancas, imagens de santos, fazer despachos, nem sacrificar pobres animais, quem pratica essas coisas são pessoas ligadas aos cultos afro brasileiro.
    Não estou descriminando nada, só estou definindo questões Doutrinarias.

    4) Vamos reconhecer a elevação dos espíritos desencarnados pela sua Linguagem e pelos seus ensinamentos.
    Os Espíritos de Luz ou Espíritos Elevados possuem sempre uma Linguagem moralmente limpa e elevada.
    Os Espíritos Elevados possuem uma Linguagem pura, digna, nobre, lógica, isenta de vulgaridades e expressões grosseiras, sua Linguagem é sempre Moralizadora incentivando as pessoas a seguirem o Caminho do Bem e das Virtudes.
    Os espíritos inferiores possuem uma Linguagem moralmente pesada e grosseira, sua linguagem reflete as paixões e vícios humanos, como, o ódio, a revolta, o rancor, o medo, o fanatismo, desejos de vingança, apego aos vícios de beber e fumar e outros vícios como a gula, o jogo e as drogas, esses espíritos inferiores estão na atmosfera terrena tentando viver entre os encarnados.
    Os encarnados que possuem maus pensamentos, maus desejos, vícios, e tem uma vontade fraca, são os mais visados por esses espíritos inferiores e obsessores da atmosfera terrena, eles procuram intuir ou inspirar maus pensamentos e vícios na mente das pessoas.
    Para afastar esses maus espíritos, temos que cultivar uma vida terrena digna, correta, honesta, com pensamentos elevados e positivos e procurar sempre combater os maus pensamentos, os maus desejos, os vícios.
    A nossa Conduta Moral tem que ser Reta no Cristo.
    Dessa forma os maus espíritos não conseguem se sintonizar com a nossa mente estamos vibrando em outra faixa, a proteção espiritual quem faz é a própria pessoa, conforme a sua forma de pensar, sentir e agir.
    Tudo depende dos nossos pensamentos, sentimentos e atitudes.
    Vamos concluir que as proteções milagrosas não existem, o Deus bíblico que realiza milagres e fatos sobrenaturais é uma fantasia, as Leis de Deus são naturais, eternas e imutáveis e essas Leis regulam tudo no Universo material e espiritual, cada pessoa conforme seus pensamentos e suas ações vai atrair bons ou maus espíritos.
    Deus vai me proteger quando eu estou vibrando bons pensamentos e bons sentimentos, por que, dessa forma eu entro em sintonia com os Espíritos de Luz atraindo assim a proteção luminosa desses seres.
    Os Espíritos de Luz não podem se aproximar de pessoas que estejam vibrando maus pensamentos, maus sentimentos, vícios e tendo atitudes negativas, pela Lei das atrações psíquicas os iguais se atraem e os diferentes se repelem.
    Depende de Nós atrair uma assistência espiritual boa ou má.
    Depende de nós e não de Deus.

    5) O Espiritismo bem estudado nas Obras de Allan Kardec, mostra que Deus não realiza milagres e nem fatos sobrenaturais, as Leis de Deus são naturais, eternas e imutáveis, e essas Leis regulam tudo no Universo material e espiritual, tudo é harmonia, sabedoria e evolução na Obra Divina.
    Deus o Grande Foco é a Perfeição Completa e Absoluta e Ele só cria coisas perfeitas e positivas, suas Leis naturais promovem a Evolução de todos os espíritos encarnados e desencarnados, até os minerais, vegetais e animais estão evoluindo para o Grande Foco, como explica o Mestre Luiz de Mattos.
    Deus é Ciência.
    E é pela Ciência e pela depuração Moral que vamos chegar ate o Criador incriado.
    O espírito se reencarna no mundo terra é para Vencer as suas imperfeições morais pela pratica do Bem, da Caridade e das Virtudes divinas, estamos na matéria é para Dominar a matéria e brilhar a nossa Luz.
    O nosso DEVER é sermos pessoas boas, corretas, honestas, cordiais, educadas, solidarias, dignas, caridosas, cultivar a prece sincera, cultivar pensamentos elevados e positivos, cultivar sentimentos nobres, ajudar os necessitados, ajudar e amparar os animais, combater os vícios, combater os maus pensamentos, combater os maus desejos, combater a imoralidade, nós somos filhos da Grande Luz, em nossa essência somos Deuses.
    Disse o Mestre Jesus, vois sois deuses.
    Você é uma centelha de Luz ou centelha divina que pensa e sente, dentro de você, você é um Espirito eterno em evolução para a Unidade com o Criador.
    Busquemos essa Unidade pela nossa depuração moral e intelectual, realizando as Obras do Cristo.

Deixe-nos sua opinião, pois é muito importante para nós!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s