OS AMIGOS ESPIRITUAIS

Ninguém, que se encontre no mundo, em processo de crescimento, avança em paz sem o concurso deles.

Sócrates, muitas vezes, referiu-se ao seu “daimon”, que lhe era devotado amigo espiritual.

São João Crisóstomo, interpretando as epístolas do apóstolo Paulo, recebia-lhe a inspiração direta, em fenômeno quase psicográfico.

Santa Brígida de Vladstena, na Suécia, comunicava-se com imensa facilidade com os amigos espirituais, que a assistiam sempre, mesmo quando estava no trono do seu país.

Constantino, em desdobramento místico, manteve contato direto e lúcido com os seus amigos espirituais, que o auxiliaram a ganhar a batalha na ponte Milvius.

Joana D’Arc esteve sempre inspirada e amparada pelos seus bondosos amigos espirituais, que jamais a deixaram.

Cristóvão Colombo, inspirado pelos seus amigos espirituais suportou a pressão dos companheiros e, insistindo no objetivo a que se propôs, descobriu a América.
Madame Curie, exausta e combalida, continuou amparada pelos amigos espirituais e descobriu o radium.

Albert Einstein, confiante em Deus e trabalhando sem repouso, “viu”, ajudado pelos seus amigos espirituais, a origem do universo e todo o processo de relatividade do “tempo” e do “espaço”.

Artistas e conquistadores, cientistas e benfeitores da humanidade, santos e místicos, heróis e mártires sempre receberam dos seus amigos espirituais o apoio e a custódia, o socorro e a inspiração para os seus cometimentos enobrecedores.

Não apenas esses, que se tornaram alavancas para o progresso das criaturas, das sociedades, do mundo.  Mas também outros, que permanecem desconhecidos e realizam tarefas de pequeno porte, igualmente valiosas para eles próprios em particular e para a humanidade em geral.

Nunca te desligues mentalmente dos teus amigos espirituais.  Mesmo que os ignores ou não os queiras, em momentos especiais de loucura, eles permanecerão ao teu lado.  Se, porém, sintonizares com o pensamento deles, captarás, com maior segurança e clareza, as suas idéias, convivendo, agradavelmente, com a inspiração decorrente.

Eles jamais interferirão no teu livre-arbítrio, esse direito de liberdade de opção que Deus te concedeu.

Deixar-te-ão agir conforme prefiras, embora te apresentem o melhor, porquanto a responsabilidade é sempre tua e as conseqüências te pertencerão.

Ama os teus amigos espirituais, mantendo com eles um intercâmbio consciente e constante.  Eles nunca te decepcionarão.

Vinculado e acostumado com eles, descobrirás que, por sua vez, estão ligados a JESUS, a Quem servem, e que lhes é o Amigo Excelente, também teu Guia e Modelo Ideal.

Fonte: Livro – Sob a Proteção de Deus – mensagem ditada pelo espírito Joanna de Ângelis / Psicografia de Divaldo Pereira Franco – editora espírita alvorada-1994.

Conheça uma instituição Espírita. Você é bem vindo!

“Os espíritos protetores nos ajudam com os seus conselhos, através da voz da consciência, que fazem falar em nosso íntimo – mas como nem sempre lhes damos a necessária importância, oferecem-nos outros mais diretos, servindo-se das pessoas que nos cercam”
Allan Kardec

Anúncios
Esse post foi publicado em Artigos. Bookmark o link permanente.

Deixe-nos sua opinião, pois é muito importante para nós!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s